Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

OPINIÃO | Jogos first-party do Xbox em outros consoles seria nada mais que desrespeito

“Confiança: uma vida para conquistar, segundos para perder.” Acredito que esteja claro como esta frase representa perfeitamente a situação atual do Xbox. Consumidores com raiva, até porque, após anos confiando e investindo na marca, a divisão Xbox parece simplesmente estar jogando tudo para o alto.

Inconsistência e decepção

Como um consumidor dos consoles Xbox, acredito que falo por muitos quando afirmo o quão inconsistente a divisão tem sido em relação a essa vertente para nós consumidores. Chegou a virar piada; o Xbox parece morrer a cada final de semana e na grande maioria dos casos, termina assim, na brincadeira. Dessa vez, porém, é diferente, a brincadeira ficou séria.

Como fã de Xbox, me apaixonei pela plataforma por conta dos diversos títulos vinculados a ela e seus estúdios. Aprendi a jogar grandes FPS com Halo, grandes jogos de corrida com Forza, e outros títulos como Ryse son of Rome, Sunset Overdrive, Gears of War, Quantum Break estão entre algumas das experiências mais marcantes da minha vida, e da vida de muitos caixistas por aí!

Com toda essa paixão envolvida, eu, assim como muitos, entraram em uma espera que parecia não acabar nunca. Desde as primeiras compras de estúdios como a Playground e Ninja Theory em 2018, se espera o momento em que o Xbox voltaria finalmente a ter a capacidade de lançar uma grande quantidade de jogos bons todos os anos. E após 6 longos anos, quando esse desejo se torna finalmente uma realidade palpável, recebemos a notícia de que, esses jogos, nossos jogos, também podem estar chegando à plataformas rivais.

Phil Spencer é o atual CEO da Microsoft Gaming. Imagem: Reprodução/Microsoft

“Mas se você é um cliente Xbox, o que eu quero que você saiba é que isso se trata de entregar excelentes jogos exclusivos para você, disponíveis em plataformas onde o Game Pass está presente. Esse é o nosso objetivo, é por isso que estamos fazendo isso, é a base dessa parceria que estamos construindo.” – Phil Spencer

Pior que isso, é o entendimento que, após diversas frases de efeitos ditas por Phil Spencer, os jogos chegarão em plataformas que farão de tudo para tirar mais e mais jogos do console Xbox, além de pressionar cada vez mais usuários para fora da plataforma. Fica a pergunta: “Qual foi o ponto de toda a espera dos últimos 6 anos?”

O Declínio e o desprezo pelo console Xbox

Bom, sendo direto, a notícia foi recebida como um soco na barriga para muitos fãs do Xbox ao redor do mundo. Tem ficado cada vez mais claro que o console Xbox não é mais o foco da divisão; o PC e Mobile têm sido claramente o centro do investimento da Microsoft, que parece não estar contente com o fato de que o Xbox, como console, não cresce como poderia. Isso, para mim, se reflete em hipocrisia, afinal não seria da Microsoft a responsável por fazer o console crescer enquanto agrega valor ao produto ao invés de tirar?

A realidade nua e crua é que a divisão Xbox parece ter aceitado uma derrota vergonhosa! A ponto de ceder mais espaço aos concorrentes, enquanto, ao mesmo tempo, decepciona a grande base de fãs que possui. Afinal, se coloque no lugar de pessoas, como muitos dos membros do “Time Xbox Originals”, que vêm acompanhando a divisão há anos, gastando na plataforma, dedicando seu tempo para produção de conteúdo! Para todas essas pessoas, a Microsoft parece ter dito um grande “não me importo”.

Uma decisão errada e inconsequente

Dentre as muitas afirmações de Phil Spencer, existe uma em específico que ecoa na minha mente, de maneira recorrente. Após o lançamento do conturbado Redfall, quando questionado sobre os exclusivos da plataforma, Phil comentou:

“Vejo muitos analistas por aí que querem voltar ao tempo em que todos tínhamos cartuchos e discos, e cada nova geração era um recomeço, e você podia trocar toda a plataforma. Isso simplesmente não é o mundo em que vivemos hoje. Não há um cenário em que Starfield seja avaliado como 11 em 10, e as pessoas comecem a vender seus PS5. Isso não vai acontecer.” – Phil Spencer

De muitas maneiras, essa frase é a prova de que a divisão Xbox simplesmente desistiu de lutar, o que para mim é extremamente decepcionante! A Microsoft parece ter aceitado algo que não é um fato, uma derrota que nem sequer aconteceu. Com o poder do Xbox Game Studios, Bethesda, Activision e Blizzard, o Xbox ainda assim não é capaz de criar jogos “System Sellers” que popularizem o console? De qualquer maneira, não vão nem dar a chance desses diversos estúdios tentarem fazer algo?

Desenvolvedoras que hoje fazem parte da Microsoft. Imagem: Reprodução/@Kobrille no Twitter/X

Fora a clara posição de derrota, a decisão de lançar jogos em plataformas concorrentes de consoles dificulta mais ainda a ascensão do console Xbox, visto que servirá para que rivais como a Sony possam pressionar cada vez mais o consumidor para a sua plataforma, onde terão acesso a uma maior biblioteca, dando a ela um poder de marketing e controle de parcerias gigantesco!

A péssima comunicação e o futuro nebuloso

Em meio a crítica à atual situação da divisão Xbox, a falta de uma comunicação eficaz emerge como mais um ponto de preocupação. A ausência dos líderes para abordar rumores e informações vazadas contribui para a sensação de caos, alimentando a desconfiança e o descontentamento já presentes na base de consumidores leais.

O futuro da plataforma parece envolto em incertezas, agravadas pela falta de transparência sobre os planos e estratégias da divisão. As demissões, os rumores e o descontentamento entre os insiders deixam a comunidade Xbox em busca de respostas claras e uma direção definida para o caminho adiante.

A grande pergunta que persiste é: qual é o plano do Xbox, e por que esse plano não está sendo comunicado de maneira clara aos consumidores que, ao longo dos anos, investiram confiança e paixão na marca? A ausência do consumidor no centro dessas decisões é notável e contribui para a crescente insatisfação.

Conclusão

A falta de comunicação transparente por parte da divisão Xbox é profundamente desrespeitosa para os usuários dedicados que investiram não apenas dinheiro, mas também tempo e emoção na plataforma. Ao longo dos anos, esses consumidores construíram uma relação de confiança com a marca, acreditando que o Xbox seria uma escolha sólida. No entanto, a ausência de esclarecimentos sobre decisões estratégicas cruciais e a falta de liderança visível para abordar as preocupações da comunidade deixam os usuários se sentindo desconsiderados e subestimados.

Além disso, a decisão de lançar jogos em plataformas concorrentes amplifica o sentimento de desrespeito. Os consumidores do Xbox, ao longo dos anos, construíram uma lealdade baseada na exclusividade dos títulos oferecidos pela plataforma. Ao estender esses jogos para outras plataformas, o Xbox não apenas compromete a identidade única da marca, mas também desvaloriza a lealdade dos usuários, que agora se perguntam “qual é o verdadeiro valor de investir em um console Xbox?”

A comunicação inadequada e as decisões que parecem ignorar as expectativas e desejos dos usuários criam um ambiente em que a comunidade se sente alienada e desrespeitada. O usuário do Xbox merece ser tratado com mais consideração e transparência, especialmente quando se trata de mudanças significativas que afetam diretamente a experiência e a identidade da plataforma que escolheram. O mais complicado de tudo, é que parece ser só o começo, afinal, por que não vieram dar um ponto final na história?

Bom, mesmo que viessem, seria em vão, visto que com tamanha quebra de confiança, mesmo uma posição oficial da empresa já seria motivo de dúvidas por parte dos consumidores que agora seguirão com a preocupação constante de perder o valor agregado à plataforma de sua escolha. No fim, eu tenho que dizer, muitas vezes brinquei sobre como todo ano o Xbox parece ter a faca e o queijo na mão para se tornar o maior; enfim, vejo que eles estão se tornando o maior. Porém, como consequência, deixam de lado o console que criaram, o legado que construíram e a base de fãs que uniram. Talvez seja má sorte, talvez seja apenas mais um grande evento mal explicado… Que o amanhã seja melhor. Para mim, de qualquer forma, tudo pode ser resumido em uma palavra. Sendo verdade ou não, se resume em: incompetência.

7 Comments

  • hehexleo
    Postado fevereiro 5, 2024 às 23:48

    mt bom

  • Dario Varasquim
    Postado fevereiro 6, 2024 às 11:01

    Concordo no ponto de que a comunicação é péssima, agora eu discordo da maior parte do restante do texto, por exemplo “os jogos chegarão em plataformas que farão de tudo para tirar mais e mais jogos do console Xbox” como assim tirado? não poderei jogar o próximo halo no meu xbox? outra coisa é que se tivesse halo tanto no playstation quanto no xbox eu ainda assim teria o xbox, todos os games que eu quero jogar estão na plataforma, os principais motivos de eu comprar um xbox foi gamepass day one, retro compatibilidade, depois de ter o console descobri o eneba, rewards, eu sinceramente não ligo pra exclusividade mas concordo com o Filipe no ponto em que os exclusivos fazem parte da identidade da marca. No fim a única coisa que podemos fazer é esperar o evento de business que terá semana que vem.

    • Autor da Postagem
      Filipe Eduardo
      Postado fevereiro 8, 2024 às 15:07

      Entendo sua visão Dario, meu ponto foi que a Sony poderia usar o poder e influência para tirar jogos de terceiros do Xbox, como nos casos de Final Fantasy e Sillent Hill 2. Mas claro, isso é apenas uma reflexão hipotética e aguardamos a resposta oficial! Mt obg pela leitura!

  • Rafael
    Postado fevereiro 8, 2024 às 15:01

    Disso tudo que está acontecendo, o que não acho justo é a questão dos jogos exclusivos do Xbox irem para outras plataformas, sendo que o contrário não irá acontecer (pois nem rumores ainda tem). Muito bom os usuários de PlayStation usufruirem dos jogos da xbox, mas os usuários de xbox por ora nunca irão usufruir dos jogos da Playstation, nessa questão, acho bem injusto. Se continuar dessa forma, com certeza irei largar meu xbox para adquirir um PS5, vai ser bem mais negócio

    • Autor da Postagem
      Filipe Eduardo
      Postado fevereiro 8, 2024 às 15:08

      Entendo sua visão e compartilho de certa forma! Aguardemos a resposta oficial e vamos torcer sempre pelo melhor! Mt obrigado pela leitura!

  • Clowner
    Postado fevereiro 16, 2024 às 00:11

    Opa ksksks.

    Eu acrescentaria o fato de que não é de hoje que a imagem do Xbox vem sendo destruída por ela mesma. As pessoas dizem que o Phil Spencer salvou o Xbox do lançamento terrível do One, o que é verdade, mas, no fundo, eles continuaram com a mesma estratégia de virar um ecossistema multimídia ao invés de o investimento em jogos. Parece que não há um controle de qualidade.

    Um lado trazia jogos com investimento milionário, indicados a diversos prêmios, enquanto o outro passava um ano inteiro sem apresentar nada, e poucos anos antes pegava a principal IP (Halo) e trazia Halo Infinite, um jogo vazio, genérico, morto, e que só serviu pra virar meme na internet.

    Parece idiota insistir em algo que claramente não deu certo antes e continua não dando certo. É esmurrar ponta de faca, atirar no próprio pé. Uma plataforma tão incrível, acessível e que marcou a vida de milhares de jogadores (inclusive a minha) fazendo isso é simplesmente decepcionante.

    É 2024, mas ainda estamos em 2013.

Deixe um comentário

Sign Up to Our Newsletter

Ritatis et quasi architecto beat

[yikes-mailchimp form="1"]
This Pop-up Is Included in the Theme
Best Choice for Creatives
Purchase Now